Com atividades em grupos, Serviço Municipal de Fisioterapia de Restinga Sêca diminui filas e aposta na prevenção

Para dinamizar o tratamento e diminuir as filas de espera, o Serviço Municipal de Fisioterapia está realizando o atendimento com grupos de pacientes, mesclando exercícios e conscientização. Além do tratamento, o foco é a “prevenção”.

Os grupos funcionam da seguinte maneira: o fisioterapeuta realiza a avaliação fisioterapêutica com o paciente e após aqueles que apresentam patologias semelhantes, com dores crônicas não muito intensas e sem dificuldade de mobilidade são reunidos em grupos. Os pacientes recebem informações teóricas para entender sobre o funcionamento do seu corpo, da coluna vertebral, articulações, músculos e tendões e são esclarecidos sobre a doença que os acomete e podem tirar suas dúvidas e, em seguida, é realizado a cinesioterapia ativa, ativa-resistida, exercícios de alongamento e fortalecimento muscular, exercícios respiratórios e de relaxamento que podem ser repetidos em casa. Como a característica comum dos grupos é a patologia semelhante, há pacientes de diversas faixas etárias.

A frente do trabalho desenvolvido com os grupos e responsáveis por eles estão as fisioterapeutas, Saionara da Rosa Wadi e Luana Bolzan Viero, que em conjunto realizam esta ação com o objetivo principal da “melhora na qualidade de vida” desses pacientes. É um estímulo para a autonomia, individualmente ou em grupo, o atendimento propicia um “espaço de escuta”, onde se reforça a importância da realização dos exercícios em casa diariamente e a responsabilidade do paciente em segui-lo para colaborar com o seu tratamento e melhora.

O resultado tem sido positivo e os pacientes aprovam a ação:

Ivania Hentschke, 53 anos, da comunidade de Vila Rosa, interior do município: “Gostei bastante desta maneira de tratamento. Essa interação é importante e motiva a gente. Você enfrenta suas dificuldades e vê que existem outras pessoas na mesma situação. O grupo é divertido, você ri e se diverte enquanto faz o tratamento”, contou.

Arnaldo Rodrigues, 65 anos, da comunidade de Santuário, interior do município: “Os grupos são uma boa ideia. Fui encaminhado para Fisioterapia devido a um problema no joelho que tenho há anos. Achei o grupo muito legal, desde o primeiro encontro até hoje que é nosso encerramento, foi ótimo. Gostei do trabalho e da atenção das fisioterapeutas, dos exercícios e do pessoal da minha turma. Assim é mais divertido e dá ânimo para a gente fazer o tratamento”, comentou.

India dos Santos, 38 anos, de Restinga Sêca: “Tenho uma tenossinovite de punho, que fez com que eu não conseguisse nem mais executar o meu trabalho; então o médico me encaminhou para a Fisioterapia; e realmente tive uma melhora significativa, além de que participar do grupo faz você compartilhar com os outros colegas das suas dores, seus sentimentos, e principalmente nossas vitórias”, relata.

Vera Mayer Marchezan, 63 anos, da comunidade de Silêncio, interior do município: “Tenho uma lesão na região lombar há alguns anos e às vezes tenho crises de dor, que dificultam muito os meus afazeres do dia a dia. Fazendo os exercícios junto com outras pessoas, a gente acha que vai conseguir, que vai aprender como mexer o corpo sem sentir dor. Gostei muito de participar do grupo”, disse.

 

Fonte: Prefeitura de Restinga Sêca

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter

Rádio Integração FM 98,5
Rua Augusto Rossi, 316
Restinga Sêca/RS

Fone/Fax: (55) 3261.1030 | 3261.1270 | 3261.1707
E-mail: radio-integracao@hotmail.com